© Fornecido por Deutsche Welle
O papa Francisco apelou nesta segunda-feira (19/01) à paternidade responsável e disse que os bons católicos não devem procriar "como coelhos". Ele declarou compartilhar a doutrina da Igreja contra os métodos artificiais de controle da natalidade, mas isso não quer dizer que "os cristãos devam ter um filho atrás do outro".
O líder da Igreja Católica, no voo de regresso ao Vaticano depois da sua visita às Filipinas, disse que certa vez perguntou a uma mãe de sete filhos – todos nascidos de cesariana – porque estava grávida do oitavo e se queria "deixar para trás sete crianças órfãs".
"Eu acredito em Deus", respondeu a mulher, o que levou o papa a lembrar: "Mas Deus nos deu meios para sermos responsáveis. Alguns pensam, e desculpem o termo, que para serem bons católicos devem ser como coelhos", disse.
Francisco declarou que a criação de uma nova vida é "parte do sacramento do casamento" e, durante sua visita a Manila, já havia defendido fortemente a proibição do papa Paulo 6º da contracepção artificial para os católicos, que ocorreu em 1968. "Paulo 6º estava preocupado com o crescimento do neomalthusianismo [que defende a restrição no número de crianças que pessoas pobres pode ter], o qual tentou controlar a humanidade", disse Francisco.